Mundo

Seleme, de Hanói: “Nós não estamos preparados para o mundo que virá.”

Certamente, a cada ano, a humanidade irá dobrar o seu conhecimento, toda sua tecnologia, sua capacidade de entendimento do mundo e do universo. Surgirá um mundo totalmente diferente, com expectativa de vida muito maior do que temos hoje.

Olá amigos do blog Nocaute, aqui é seu correspondente em Hanói, Ariel Seleme, falando um pouco sobre a minha última postagem que grande polêmica gerou.

Obrigado pela polêmica, isso significa que as pessoas estão vendo e, de alguma forma, questionamentos vão surgindo.

Participei aqui em Hanói de uma conferência internacional sobre economia. Em um dos painéis dessa conferência falou-se muito sobre os ciclos econômicos discutidos por um economista russo chamado Nikolai Kondratiev.

Esse painel chamava-se Economia Internacional e Ciclos Econômicos. E para minha surpresa, surgiu o nome de um autor brasileiro que também escreveu sobre ciclos econômicos, o economista e sociólogo Teotônio dos Santos.

Teotônio tem mais de dez livros sobre ciclos econômicos publicados em chinês. É o autor brasileiro mais publicado na China e um dos autores internacionais mais publicados na área específica de economia.

Isso tudo foi o que me inspirou a falar sobre tecnologia.

Kondratiev fala que o capitalismo acontece em grandes ciclos econômicos, os chamados ciclos de longa duração. Cada um desses ciclos possuem, no seu centro, pacotes tecnológicos – grandes massas de tecnologia que geram mercados. Essas tecnologias mudam as vidas das pessoas e geram mercado, geram produtos mas esses pacotes tecnológicos se esgotam, levando o ciclo ao seu fim até o surgimento de outro, que surge trazendo consigo um novo pacote de tecnologias.

Kondratiev assinala muito bem o ciclo econômico de um pacote tecnológico específico e que termina em 1929 com a grande crise do capitalismo.

Após a crise de 29, em 1945 inicia-se um novo grande ciclo econômico baseado em novas tecnologias que foram desenvolvidas durante a Segunda Guerra Mundial. Esse ciclo econômico se esgota nos anos 80.

De 80 pra cá, outro ciclo econômico – esses muito analisados, por Theotonio dos Santos – aconteceu e passa a se esgotar com a crise financeira de 2008.

Nesse momento, a humanidade está gestando um grande pacote tecnológico que será colocado para nós no decorrer da próxima década. Esse pacote tecnológico vai mudar profundamente as nossas vidas e não estamos atentos a isso.

Nós não estamos entendendo como o mundo será radicalmente diferente em dez ou quinze anos. Em pouco tempo, a possibilidade da extensão da vida humana irá se estender por muitos anos a mais.

Provavelmente hoje já existam crianças que terão uma expectativa de vida de muito mais de cem anos. Isso é o que buscam as novas tecnologias aplicadas na área da saúde.

Tanto Theotônio dos Santos como Kondratiev falam que os grandes ciclos do capitalismo são divididos por crises capitalistas que acontecem com o esgotamento de um ciclo econômico. Assim, o capitalismo tende a ser parasitário e tende a se reproduzir de forma fictícia, de forma especulativa. Essa foi a síntese da crise de 1929, e foi a síntese da crise de 2008, as chamadas bolhas especulativas – que ainda existem, que ainda sobrevivem, porque nós ainda não saímos completamente de um ciclo e entramos em outro.

Essa seria a explicação teórica do que me levou a falar um pouco sobre tecnologias e como o mundo será totalmente diferente em pouco tempo.

Theotônio dos Santos fala que o crescimento econômico em função das tecnologias será fantástico. As tecnologias crescem, o conhecimento científico cresce, de forma exponencial e a humanidade dobra o seu conhecimento em períodos cada vez menores.

Entre 1500 e 1800 a humanidade dobrou todo o seu conhecimento. De 1800 a 1900 novamente dobrou o seu conhecimento em um período de cem anos. Theotônio fala que de 1900 a 1945, novamente, a humanidade dobrou toda sua base de conhecimento. E agora, nos últimos vinte anos dobrou novamente. Ou seja, com o passar do tempo a humanidade dobra a sua base tecnológica cada vez mais depressa.

Provavelmente, daqui a vinte anos, estaremos dobrando o conhecimento global da humanidade em três ou quatro anos, um crescimento exponencial do conhecimento científico. É isso que vai levar a mudanças fantásticas nos próximos dez ou quinze anos.

Nós não estamos preparados para o mundo que virá. Um mundo totalmente diferente com expectativas de vida muito maior do que temos hoje e com tecnologias muito mais sofisticadas do que temos hoje e um conhecimento que cresce de forma exponencial.

Muito certamente em cinquenta anos a humanidade poderá estar dobrando o seu conhecimento, toda sua tecnologia, sua capacidade de entendimento do mundo e do universo a cada ano.

Outro fato que me marcou nesse ciclo de debates, segundo alguns cientistas que lá participaram existe a possibilidade de que em quinze anos, de que a cada ano passado, as tecnologias aplicadas a medicina poderão aumentar em um ano a expectativa de vida média das pessoas.

Imaginem, a cada ano você aumenta em um ano a sua expectativa de vida. Em tese seria a imortalidade.

Notícias relacionadas

  1. Será que algum coxinha histérico poderia me explicar com mais pormenores, sobre Theotônio dos Santos? Não sei nada sobre ele: acho que é por que a globo não mostrou!!!!! Afinal, se comunistas leem o cara….

A sua opinião é importante, comente!