Brasil

Como começou a terça-feira

Estadão e Globo dão manchete principal para a Odebrecht, que pediu à Justiça para negociar 51 bilhões de reais. É a maior recuperação judicial da história. Aliás, é aquela história: Lava-Jato acaba quebrando empresas, sem pudor.

Estadão fez questão de salientar, na sua manchete principal que a empresa é “pivô da Lava-Jato”.

Em editorial, o Estadão reforça que a nossa economia está indo para um buraco cada vez maior.

Com isso, Montezano, o substituto de Joaquim Levy, no BNDES, ficou em segundo plano, apenas um registro nas primeiras páginas dos jornais.

Folha abre com um furo, revelando que empresas turbinaram Bolsonaro durante as eleições, disparando milhões de WhatsApps favoráveis ao presidente que acabou sendo eleito. Revelação de Luis Novoa, dono da empresa Enviawhatsapp.

Na página 2 da Folha, o cartum da Laerte explica o que Moro quis dizer quando falou em “excesso de zelo”.

Esquenta o clima às vésperas de Sérgio Moro ir dar explicações aos parlamentares sobre o vazamento de suas conversas com Dallagnol. Enquanto os senadores do PSL dizem que vão focar no hackeamento, a oposição vai abrir fogo no conteúdo das conversas.

 (Jorge Araújo/Folhapress)

Notícias relacionadas

Qué pasa?
Fala Lula!