Brasil Comportamento

Sete reflexões de Lula, da prisão: a partir de janeiro vamos mudar o Brasil

Em conversa com o dirigente do MST, João Pedro Stédile, e o ex-presidente do PT, Rui Falcão, que foram visitá-lo na prisão, em Curitiba, há três dias, o ex-presidente Lula resumiu o que pensa sobre o momento político atual e sobre o futuro do Brasil depois das eleições de outubro deste ano.

1 – Sobre a economia e a ingerência do governo dos Estados Unidos no Brasil

A cada dia ficam mais claros os interesses dos capitalistas dos Estados Unidos para controlar a economia do Brasil. Essa visita do vice-presidente ao Brasil e a subserviência do governo golpista demonstram que os Estados Unidos estão perdendo terreno a cada dia com a China e a Europa. E querem voltar a controlar a economia da América Latina como forma de obter vantagens e ter melhores condições de riquezas naturais do que seus concorrentes.

2 – A ofensiva do governo para vender o patrimônio da Petrobras e privatizar a Eletrobrás

O governo golpista e ilegítimo está acelerando ao máximo a entrega do petróleo e do patrimônio de energia que é a Eletrobrás. E devem tirar o valor das ações do governo na Vale, para que ela possa transferir a sede para outro país.

3 – Sobre sua candidatura a presidente da República

Sou candidato a presidente. Vou disputar. E vou lutar para isso até as últimas consequências.

4 – Situação da política hoje no Brasil

A política apodreceu. Está totalmente afastada dos interesses do povo e da verdadeira democracia. Acho que depois de ganharmos as eleições devemos convocar uma assembleia constituinte, para fazer uma reforma política profunda, e devolver ao povo o direito de decidir sobre o futuro do país.

5 – Sobre o processo judicial que o mantém na prisão

Estou indignado. Sou inocente. Não há nenhuma prova apresentada pelo Moro, apenas suposições. E agora essas manipulações que envolveram o TRF-4 e alguns ministros do STF. Só quero que o STF julgue meu processo, olhe as provas, os argumentos dos dois lados. Quero apenas justiça. Só quero que o STF cumpra sua função de ser zelador da Constituição. E para isso precisam julgar logo a consulta do PCdoB, sobre a prisão ainda em segunda instância.

6 – Mensagem aos militantes

Continuem firmes. Agradeço ao povo brasileiro que me apoia, e me dá energias, e mantém seu apoio [ao meu nome] para Presidente. Agradeço aos militantes que estão firmes, organizando o povo. Só o povo organizado pode barrar essas loucuras dos golpistas e do Poder Judiciário. Aos militantes da vigília em Curitiba, que permanecem firmes comigo há mais de 90 dias, meu maior carinho e respeito. Acho que no futuro teremos que dar uma medalha a cada um deles. Aos militantes do MST e da FBP envio o meu abraço de companheiro. Serei sempre grato a tudo o que está acontecendo.

7 – Sobre o futuro

Nós precisamos radicalizar a política, no bom sentido. Mobilizar cada vez mais gente, organizar nosso povo. E prepararmos um programa de governo popular, para fazer as reformas profundas que o país precisa, e enfrentar a crise econômica, social e política. A partir de janeiro vamos mudar o Brasil.

Notícias relacionadas

  1. Prezado Fernando Moraes
    Todos nós sabemos que a prisão de Lula é ilegal, fruto de uma conspiração para manter a esquerda fora do páreo eleitoral.
    Todos nós sabemos, também, que a banca já avisou que quem ousar mexer na PEC 55 será retaliado com impeachment.
    O que nós podemos esperar de Lula, caso ele seja eleito, neste cenário? Eu leio jornalismo independente há 5 anos e esta questão não é colocada. No entanto, é pertinente. A ausência deste fragmento de realidade dá, às notícias, um ar ingênuo de quem acredita que Lula em 2019 será o mesmo de 2003. Com a PEC 55 não há salvação, Fernando. Nós sabemos disso. Por que não noticiamos?
    Cordialmente,
    Clá

A sua opinião é importante, comente!