Brasil

Preço de gás de cozinha aumenta mais de 20% no governo Temer

A Petrobras anunciou nesta quarta-feira (4) o aumento de 4,4% no preço do gás de cozinha (GLP) vendido em botijões de 13 kg. Com isso, o valor do botijão nas refinarias passa de R$ 22,13 para R$ 23,10. No preço final que chega para o consumidor ainda são somados impostos e as margens de refinarias e distribuidoras.

Desde que Michel Temer assumiu a presidência, no dia 31 de agosto de 2016, até maio deste ano, o preço médio do botijão de gás, segundo informações da ANP, subiu de R$ 54,69 para R$ 66,96 – um amento de 22,4%.

A tarifa do gás vendido em botijões passou a ser reajustado a cada três meses a partir de janeiro deste ano. Antes disso, o governo de Michel Temer aplicava alterações mensais ao preço do GLP, o que fez o valor disparar.

De junho a dezembro de 2017 foram seis aumentos consecutivos. A alta do preço foi de quase 20% para o consumidor final – número quase oito vezes maior do que a inflação no período, de 2,5%, medida pelo IPCA.

Essa política de reajuste mensal provocou uma alta de 16,39% no valor do botijão em dezembro de 2017 se comparado ao valor do mesmo mês no ano anterior  – o maior aumento desde 2002 – e fez a Petrobras alterar a sua política de reajuste no início de 2018.

O GLP é o combustível mais utilizado nas casas brasileiras – mensalmente são comercializados 35 milhões de botijões no país. O aumento do preço do gás levou cerca de 1,2 milhão de residências brasileiras a usarem outros combustíveis para cozinhar, como a lenha e o carvão, de acordo com pesquisa do IBGE de abril.

Notícias relacionadas

A sua opinião é importante, comente!