novembro 28, 2020

O ABC DE 2019

POR ALBERTO VILLAS

O que restou do ano que terminou? Foi a pergunta que os brasileiros fizeram observando a terra devastada.

Avião

Substantivo masculino. Aeronave de propulsão a motor, cuja sustentação no ar é assegurada por meio de asas.

Um avião da FAB, que fazia parte da comitiva do presidente Bolsonaro, em viagem rumo ao Japão, foi apreendido em Madri com uma carga de 39 quilos de cocaína sendo transportada pelo Segundo-Sargento Manoel Silva Rodrigues. Como foi embarcada, ninguém sabe, ninguém viu. Só ficamos sabendo que havia alguma coisa no ar, além do avião da FAB da comitiva do presidente da República.

Bozo

Nome próprio, apelido.

Personagem criado nos Estados Unidos em 1946 por Alan Livingston. Em 1980, ganhou uma versão tupiniquim via TVS do Silvio Santos. Em 2019, virou apelido do presidente da República, que tem cara de palhaço, roupa de palhaço e pinta de palhaço.

Condomínio

Substantivo masculino. Termo jurídico a posse ou direito simultâneo, por duas ou mais pessoas sobre um mesmo objeto.

Nunca se falou tanto em condomínio como em 2019. Mais precisamente o Condomínio Vivendas da Barra, onde o presidente da República e vários milicianos têm casas, inclusive aqueles acusados de terem assassinado a vereadora Marielle Franco. Virou meme: “O condomínio até que é bom, o que mata é a vizinhança”.

Damares

Nome próprio

Damares Regina Alves é advogada, pastora evangélica e, por incrível que pareça, ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos do governo Bolsonaro. Damares foi aquela que viu Jesus Cristo em cima de uma goiabeira e disse que menino deve usar azul e menina, rosa.
A quantidade de besteiras que falou em um ano não caberia num verbete.

Embaixada

Substantivo feminino. Missão representativa de um chefe de Estado junto a outro ou a um governo.

Um ano depois da posse do novo presidente da República, a Embaixada do Brasil nos Estados Unidos continua sem embaixador. O presidente quis arrumar uma colocação pro filho em Washington, já que ele tinha uma longa experiência em fritar hambúrguer na terra do Tio Sam. Não colou. Eduardo, que fala fluentemente a frase the book is on the table, acabou desistindo do cargo, mesmo depois de ter feito um curso de inglês por correspondência e ter paparicado todo o parlamento para apoiar o seu nome. Resolveu ficar por aqui.

Fogo

Substantivo masculino. Fenômeno que consiste no desprendimento de calor e luz produzidos pela combustão de um corpo.

Nunca se viu tanto fogo, tanta fumaça, tanta destruição na Floresta Amazônica como neste ano que passou. Os incêndios foram parar nas manchetes e revistas do mundo inteiro. A primeira reação do presidente trapalhão foi dizer que eram as Ongs, os brigadistas, os ecologistas, os esquerdistas que estavam incendiando a floresta. Pegou mal, ele silenciou-se. Mas não aguentou e acusou o ator Leonardo di Caprio de ter tacado fogo na floresta. Muita gente achou que era manchete do Sensacionalista. Mas não era.

Golden Shower

Expressão inglesa para um tipo de fantasia sexual. Traduzindo: Chuva dourada

Logo nos primeiros dias de governo, durante o carnaval, o presidente eleito viu cenas de golden shower em cima de um ponto de ônibus, em São Paulo e não pensou duas vezes. Postou no seu twitter: “A que ponto chegou o carnaval”. Quando as primeiras respostas vieram, dizendo tratar-se de golden shower, o Bozo perguntou: “O que é golden shower?

Hambúrguer

Substantivo masculino. Bife geralmente de forma redonda, aglomerado com carne moída e outros elementos, que costuma ser servido dentro de um pão também redondo.

O hambúrguer ficou famoso em 2019, desde o dia em que um pimpolho do presidente Bolsonaro disse que estava pronto para ser embaixador em Washington porque já tinha, inclusive, fritado muito hambúrguer em Los Angeles. Mais tarde, descobriram que a lanchonete onde Eduardo fez estágio, não fabricava hambúrgueres e sim fake news.

Intercept

Nome próprio. Agência de notícias criada por Pierre Omidyar, em 2016, e editada pelos jornalistas americanos Glenn Greenwald, Laura Poitras e Jeremy Scahill.

Quer ver o ex-juiz Sergio Moro contrariado é tocar nesse assunto, falar em The Intercept Brasil. Para ele, os vazamentos da Lava Jato, que virou Vaza Jato, foram produzidos por hackers em ações criminosas. A Rede Globo de Televisão embarcou na onda de Moro e resolveu ignorar os vazamentos, talvez com medo do nome dela aparecer nas trocas de mensagens entre eles.

Joice

Nome Próprio. Significa “elogio” ou “senhora”. Joice tem origem a partir do hebraico Jude, que deriva do latim Jodocus, que significa literalmente “elogia”. Joice é considerado o nome de um santo católico. Talvez do pau oco.

Joice, da espécie Hasselmann, é uma jornalista paranaense de ponta grossa. Radialista, escritora, plagiadora e comentarista, de repente virou deputada federal. A amiguinha do peito dos Bolsonaros virou, de repente, inimiga número 1 do clã. Foge dos filhos do presidente da República como o diabo foge da cruz. Mas, no Twitter, os enfrenta de peito aberto.

Kafta

Feminino. Prato culinário típico de origem árabe que leva patinho moído e os temperos regionais, sem poder faltar a hortelã, claro.

Quer dizer, nada a ver com o franzino escritor tcheco Franz Kafka, de família judaica, autor de A Metamorfose, O Castelo e o Processo. Até agora estamos perguntando como um ministro da Educação pode confundir um prato árabe com um escritor de língua alemã que nasceu perto da Old Town Square, em Praga. Nem Pink Freud explica.

Laranja

Substantivo feminino, mas pode ser também Masculino. Fruto da laranjeira. Cor do fruto da laranjeira: alaranjado. Figurativo: Individuo, nem sempre ingênuo, cujo nome é utilizado na pratica de diversas formas de fraudes financeiras e comerciais.

A laranja que foi muito falada neste ano que está terminando, não tinha nada a ver com o fruto da laranjeira e sim, com as falcatruas protagonizadas pelo partido que elegeu o presidente da República, o PSL, partido que deveria reivindicar do Partido Novo, a cor laranja.

Mamata

Empresa ou administração publica que da ensejo de vantagens pecuniários a políticos e funcionários desonestos.

No tosco programa verbal de governo do presidente eleito, falava-se muito “a mamata vai acabar”. Um ano depois, não somente não acabou como se espalhou pelo Brasil afora. O que mais se vê no governo do Bozo é mamata.

Nagle, Leda

Sobrenome próprio.

Jornalista mineira de Juiz de Fora, fez muito sucesso nos anos 1980 apresentando o Jornal Hoje da Rede Globo de Televisão. Seu bordão ao despedir-se dos telespectadores – nós nos vemos amanhã, com certeza – pegou. À frente do programa Sem Censura da TV Brasil, acabou afastada e depois de seguir à direita, criou o seu próprio programa no Youtube. E foi lá que entrevistou toda a família Bolsonaro, para falar todo tipo de bobagem. Ela simplesmente concordava com a cabeça, com tudo que diziam. Nos últimos tempos virou avó de Zoe, a filha de Sabrina Sato.

Óleo

Substantivo masculino. Substância gordurosa, líquida à temperatura normal, insolúvel na água.

De repente, o mar do Nordeste virou petróleo e o petróleo virou o mar do Nordeste. E acabou morrendo na praia. Inicialmente, o governo, desnorteado, acusou a Venezuela de jogar merda no ventilador. Depois falaram num navio da Segunda Guerra Mundial e, por fim, disseram que foi um navio grego. Resumo da ópera: Criaram confusão com gregos e troianos.

Porteiro

Substantivo masculino. Indivíduo encarregado de abrir e fechar a porta de uma casa, um palácio, uma instituição quando chegam ou saem moradores ou visitantes.

O porteiro do condomínio Varandas da Barra ganhou fama neste 2019 porque confundiu o número da casa que o visitante iria, confundiu o número do telefone, do interfone, a placa do carro, além de confundir a voz do Seu Jair. Ninguém foi atrás para saber quem contratou esse trapalhão.

Queiroz

Sobrenome próprio. Queiroz é um sobrenome português antigo, cuja base tem origem grega e significa “mais forte” ou “pedra”.

O Queiroz aqui em questão é um homem que, segundo ele, faz dinheiro. Vende e compra automóveis, além de fazer selfies com todos os membros da Família Bolsonaro. Acusado de ser laranja, amarelou. Sumiu e ninguém viu. O Brasil passou o ano inteiro perguntando cadê o Queiroz?

Rider

Marca de chinelo.

Calçado feito de borracha, o chinelo Rider ficou famoso nos anos 80 com a propaganda que dizia “de férias para os seus pés”. De cor preta e cinza, o chinelo Rider é de gosto duvidoso. E foi um desses chinelos que o presidente eleito fez numa de suas primeiras aparições. Como se não bastasse o chinelo nos pés, vestiu uma camisa verde do Palmeiras e saiu por aí.

Salles, Ricardo

Sobrenome próprio.

O Salles aqui em questão é aquele ministro que usa óculos amarelos, lembra? Tem cara de inimigo número 1 do meio-ambiente. Não gosta de ONGs, não gosta de ativista, não gosta de ecologista, não gosta de ninguém de esquerda. Foi ele quem pisou na praia com seus sapatos de cromo alemão, pra sentir de perto o óleo que veio nunca soube de onde. Quanto à Amazônia, parece que ele quer mais é ver o circo pegar fogo.

Terra plana

Substantivo feminino. Planeta do sistema solar, o terceiro quanto à proximidade do sol. De formato redondo.

Mas, em pleno 2019, um bando de aloprados do governo Bolsonaro, cismou que a Terra é plana. Sim, plana! Nem mesmo o ministro astronauta da Ciência e Tecnologia, o Marcos Pontes, que a viu de longe, redondinha, foi capaz de convencer os malucos que a Terra não é plana.

Ufanismo

Substantivo masculino. Atitude de quem se orgulha de uma coisa com exagero.

Com saudade da ditadura militar, o presidente da República recolocou o ufanismo na ordem do dia. O slogan do governo mudou para Pátria Amada, mas na verdade o que ele queria é mesmo é uma coisa do tipo Ame-o ou deixe-o.

Vazamento

Substantivo masculino. Palavra que leva ao pânico qualquer político.

Vazar uma conversa, uma mensagem pode ser fatal para eles. Para a Rede Globo de Televisão, vazamento implicando o ministro da Justiça não vale, não é vazamento, é ato criminoso. 2019 foi o ano dos vazamentos.

Weintraub, Abraham

Sobrenome próprio. Quando vimos, o cara virou ministro da Educação.

Sem educação, Abraham Weintraub, que Gregório Duvivier chama de Vai-entrar-no-Uber, é aquele que apareceu naquele vídeo tipo “Singin in the Rain” e dizendo que estava chovendo fake-news. O mesmo que levou cem barras de Chokito na live no presidente da República e, para mostrar quanto era 30%, separou três barras de chocolate, enquanto Bolsonaro, ao lado, mastigava algumas.

X

Vigésima quarta letra do nosso alfabeto. Usada também como versus, no sentido de oposição.

Em 2019, assistimos os embates Bolsonaro X Joice, Bolsonaro X Folha de S.Paulo, Bolsonaro X Frota, Bolsonaro X Ongs, Bolsonaro X Prêmio Luís de Camões, Bolsonaro X TV Globo, Bolsonaro X Glenn, Bolsonaro X Greta. A luta continua!

Yanomami

O etnônimo “Yanomami” foi produzido pelos antropólogos a partir da palavra yanõmami que, na expressão yanõmami thëpë, significa “seres humanos”.

O governo maltratou como pode os Yanomamis, bem como todas as nossas outras tribos. Chamou os pobres índios de preguiçosos inúmeras vezes, além de ameaçar tomar suas terras. O governo sem nexo esqueceu-se de que eles chegaram aqui muito antes da tribo dos Bolsonaros.

Zoar

Verbo intransitivo. Fazer grande ruído.

O que mais fizemos esse ano foi zoar com esse governo. Piadas apareceram nas redes sociais, vindas de todos os cantos do país. Bastava o presidente, seus filhos, seus ministros, seus apoiadores abrirem a boca para, em um minuto, surgiu uma chacota. Ficou provado que esse governo que está aí não passa de uma piada.